Academia de Cordel participa de programa de rádio em Brasília

esplanada

A Academia de Cordel do Vale do Paraíba está fazendo parceria com a Rádio Esplanada FM de Brasília para divulgação dos trabalhos dos acadêmicos no programa “Sarau radiofônico”, transmitido toda segunda-feira, das 17 às 19 horas, e retransmitido em oito estados brasileiros por rádios comunitárias.

A rádio Esplanada FM foi criada em dezembro de 1996 com o nome de Associação de Radiodifusão Comunitária. Assim nasceu o primeiro estatuto  especifico de rádio comunitária. Esse estatuto foi amplamente divulgado em cartilhas produzidas por parlamentares apoiadores da Abraço e atualmente existem inúmeras rádios por todo o país com essa mesma denominação. “A proposta é fazer uma programação diferente das FM comerciais, plural e com a participação da comunidade e dos alunos das escolas associadas”, disse José Sóter, diretor da rádio.

A Academia de Cordel do Vale do Paraíba já atua em programas radiofônicos, através da Rádio Zumbi dos Palmares, e fornece conteúdo para o programa “Alô comunidade”, produzido pela Zumbi e retransmitido por várias emissoras comunitárias da Paraíba, a partir da Rádio Tabajara da Paraíba, AM.

Academia de Cordel celebra parceria com entidades culturais de Pocinhos

academia nezinha

Casa de Cultura e Artes Nenzinha Monteiro

A Academia de Cordel do Vale do Paraíba vai se integrar às ações voltadas para a cultura na Casa de Cultura e Artes Nenzinha Monteiro, em Pocinhos. Uma parceria será estabelecida entre as duas entidades, estando agendada reunião de Fábio Mozart, da Academia, com Tiago Monteiro, da ONG de Pocinhos, neste sábado, dia 01 de abril, para tratar da questão.

“O poeta Tiago Monteiro faz um grande trabalho na área da cultura em Pocinhos, e a Academia de Cordel, da qual faz parte, resolveu incrementar a programação da Associação Cultural e Artística de Pocinhos com projetos de oficinas, cordelteca e outras ações”, disse Fábio Mozart. A parceria, segundo ele, inicia no dia 1º de abril com doação de cem livros da biblioteca Arnaud Costa, da Academia de Cordel do Vale do Paraíba, para os projetos de leitura implantados em Pocinhos.

Os livros doados pela Academia de Cordel serão destinados à campanha Biblioteca Pensar na comunidade Nazaré, em Pocinhos. Os livros arrecadados serão entregues no dia 29 de abril no Sarau Palavras Mágicas.

Antigo distrito de Campina Grande, emancipado em 1953, Pocinhos localiza-se no Cariri paraibano, região metropolitana de Esperança, com população estimada de 18 mil habitantes.

Academia de Cordel participará das comemorações de aniversário de Itabaiana

acade

A Prefeitura Municipal de Itabaiana elabora programação cultural com vistas ao o aniversário de emancipação política do Município. Pensando numa programação cultural pra a ocasião o Secretário Executivo de Cultura reuniu-se nesta quinta feira (23), em João Pessoa, com membros da Academia de Cordel do Vale do Paraíba. Na oportunidade o Secretário destacou que durante todo o mês de maio serão promovidas as ações com e atividades artísticas e culturais em suas diversas manifestações.

Ficou programado que a plenária da Academia de Cordel será realizada em Itabaiana no dia 13 de maio, no Colégio Nossa Senhora das Graças, em alusão à data de emancipação política do município e contará com artistas da terra, além dos poetas cordelistas de todo Vale do Paraíba. Na ocasião, haverá a entrega do Prêmio Leonilla Almeida que é concedido anualmente às mulheres que se destacam na vida social e cultural da Paraíba, além do lançamento dos livros Cangote Envenenado, de Sander Brown, e Sonetos de Vida, de João Teotônio de Carvalho e apresentações musicais de Meire Lima, Roberto Cajá, Bebe de Natércio e Zora Lira.

A programação terá arte, literatura, música, teatro, cinema todo contexto cultural estará voltado para Itabaiana. “Vamos trazer os poetas da Academia Paraibana de Cordel do Vale do Paraíba, assim como ressaltar os artistas que Itabaiana possui, nesta data da emancipação onde também comemoramos o aniversário do musicista Sivuca, mais uma razão de preservarmos os grandes nomes artísticos, como também a memória viva de Itabaiana”, declarou Herivelt Felix, Secretário de Cultura do Município.

 

 

Poeta acadêmico escreve cordéis para divulgar Justiça Federal na Paraíba

marconi

O cordelista Marconi Araújo produziu vários cordéis para divulgar os trabalhos da Justiça Federal na Paraíba. Ele é Bacharel em Direito, Licenciado em Matemática, bacharel em Estatística, membro da Academia de Cordel do Vale do Paraíba e servidor da Justiça Federal. O poeta assina uma coluna literária semanal no portal de notícias Fatopsb, trazendo ao leitor/internauta um pouco da arte que traduz a alegria, tristeza, esperança, certezas e incertezas do cotidiano da maneira mais popular possível que é o Cordel.

Marconi é servidor da Justiça Federal há 26 anos. Há vários anos vem desenvolvendo trabalhos em formato de cordel, tendo sido premiado em 2003 quando do 1º Concurso de Literatura de Cordel promovido por aquela Instituição, ocasião em que apresentou sua obra sob o título “Justiça Federal fazendo História”. Produz cordéis diariamente e com ampla divulgação nas redes sociais, gerenciando, inclusive, no Facebook, a comunidade intitulada “Cordel em Rede”, criada com vistas ao incentivo à cultura e, notadamente, à divulgação de seus trabalhos autorais.

 

 

 

Poeta da Academia de Cordel ganha seu segundo prêmio nacional de poesia

tiago

O poeta Tiago Monteiro, da cidade de Pocinhos-PB, que havia sido premiado em dezembro do ano passado no “Prêmio Poetize 2017”, com o poema “Lição para a vida”, teve o poema “Sobre saudade” selecionado entre os 250 vencedores do “Prêmio Poesia Livre”, da editora Vivara, cujo resultado saiu nesta quarta-feira (22). Tiago é membro da Academia de Cordel do Vale do Paraíba.

O concurso, que teve inscrições abertas de dezembro de 2016 a março de 2017, recebeu 3.203 inscrições, onde apenas 250 foram selecionadas e farão parte da coletânea “Poesia Livre 2017”, da editora Vivara, que será lançado em maio do corrente ano.

“Estou muito feliz com mais essa conquista. Ter um poema publicado em um livro de alcance nacional muito nos honra, além do mais quando é o segundo prêmio em pouco mais de 3 meses. É muito bom saber que sua poesia tem alçado voos tão grandes. O ânimo para continuar escrevendo só aumenta”, comentou Tiago Monteiro.

Tiago Monteiro é cordelista membro da Academia de Cordel do Vale do Paraíba e um incansável lutador em prol da cultura pocinhense. Tem vários cordéis lançados, a exemplo de “O futuro a Deus pertence” e “Minha jumenta Filó”. Seu trabalho pode ser lido no site http://www.poetatiagomonteiro.com

Academia participa de sarau em homenagem ao jornalista Chico Veneno

Chico 66No mês de abril, a cidade de Itabaiana fará um sarau em homenagem ao jornalista Chico Veneno, personalidade da cultura da Paraíba nos anos 60 e 70, fundador do jornal Evolução e um dos precursores do Cinema Novo no Estado. O evento, ainda sem data, lembrará os setenta anos de nascimento de Chico e é uma parceria das Secretarias de Cultura do Estado e do Município. “Sua memória será lembrada com poesia e uma conferência sobre a sua história”, adiantou Lau Siqueira, Secretário de Cultura da Paraíba.

A Academia de Cordel do Vale do Paraíba participará do sarau, com relançamento do cordel “Chico Veneno, o homem que intoxicou a burguesia”, de Fábio Mozart, e outras intervenções poéticas dos cordelistas.

O jornal de Chico, “Evolução”, foi reeditado pelos jornalistas Fábio Mozart e Socorro Almeida, cujo número inicial desta nova etapa da publicação foi lançado em 2016, com patrocínio do Fundo de Incentivo à Cultura Augusto dos Anjos, da Secult-PB. Provavelmente será lançado o segundo número do “Evolução” em abril, durante as comemorações dos setenta anos de nascimento de Chico Veneno. “Evolução” foi um marco na imprensa combativa da Paraíba nos anos de chumbo, entre 1964 e 1968.

 

Produtora cultural dispõe-se a colaborar com projetos da Academia de Cordel

aka

A Encenadora Kalline Brito visita a biblioteca (sessão Teatro) da Academia de Cordel do Vale do Paraíba, parceira do Coletivo Porta Cênica. Ao lado, o cordelista Fábio Mozart.

A atriz, encenadora e produtora cultural Kalline Brito, do Coletivo Porta Cênica, em João Pessoa, visitou a Biblioteca da Academia de Cordel do Vale do Paraíba e conversou com Dalmo Oliveira e Fábio Mozart, nesta terça-feira (21), ocasião em que se disponibilizou para auxiliar nos projetos culturais da entidade.

O Coletivo Porta Cênica é uma pessoa jurídica de direito privado, sem fins lucrativos, que tem como finalidade produzir e realizar projetos nas áreas de cultura, turismo e meio ambiente, implementar o Programa Arte Educação para o Desenvolvimento Humano através do Teatro, voltado a crianças, adolescentes e jovens das populações de baixa renda, prestar serviço de assessoria e consultoria na elaboração de projetos culturais, turísticos e do meio ambiente para a captação de recursos e realizar eventos artísticos e culturais criando oportunidades para a difusão da produção regional e intercâmbio.

Na ocasião, o cordelista Fábio Mozart convidou Kalline para montar e produzir o espetáculo “Cordel do fogo apagado”, com poetas acadêmicos. “Será um prazer trabalhar mais uma vez com essa linguagem, pois já produzi um espetáculo para o cordelista Francisco Diniz, em Santa Rita, e tenho muita ligação com essa forma de arte”, disse Kalline.

Academia de Cordel pode ter plenária durante Semana José Lins do Rego em Pilar

ajo

A cidade de Pilar realiza a Semana Cultural José Lins do Rego, de 03 a 09 de junho próximo, parceria entre a Fundação Menino de Engenho, SECULT-PB, Prefeitura de Pilar e SEBRAE. A programação deverá constar de atividades artístico-culturais em escolas e ambientes públicos.

O Secretário de Cultura do Estado, Lau Siqueira, participou de reunião nesta segunda-feira, 20, em Pilar, onde ressaltou a necessidade de dar visibilidade aos artistas e produtores culturais da região.

O Secretário de Cultura de Pilar, Antonio Costta, informou que será introduzida na programação do evento uma plenária da Academia de Cordel do Vale do Paraíba, com lançamento de livros e declamação, entre outros números artísticos de poetas e cantadores, membros da Academia.

 

 

 

 

Projeto “Um Poema em Cada Árvore” tem participação da Academia de Cordel

praca-venancio-neiva

Idealizado pela poetisa Jovirene Pereira e realizado pela Biblioteca do Ministério do Trabalho e Emprego, em João Pessoa, o projeto Um Poema em Cada Árvore acontecerá no dia 21 de março (terça-feira), das 9 horas às 11h30, na Praça do Pavilhão do Chá, Praça Venâncio Neiva, na capital paraibana. A intervenção é gratuita e voltada para o público de todas as idades.

Na ocasião serão propostas ações de estímulo à leitura, com a distribuição de poemas de artistas locais nas árvores da praça, além de fomentar as pessoas ao mundo da leitura. A Academia de Cordel do Vale do Paraíba confirmou participação, com poemas dos cordelistas Fábio Mozart, Thiago Alves, Sander Brown e Sander Lee.

Para a coordenadora, Jovirene Pereira, “a ação, além de incentivar a leitura, provoca a ocupação de espaços urbanos. Assim, as árvores do Pavilhão do Chá estarão repletas de poemas no dia da ação, levando a literatura não só para os jovens que participarão da atividade mais também para os transeuntes do parque”.

EDITAL PARA PUBLICAÇÃO DE COLETÂNEA

ACADEMIA DE CORDEL DO VALE DO PARAÍBA

EDITAL N. 01/2017edital

 

Edital para publicação de coletânea

A Academia de Cordel do Vale do Paraíba anuncia aos membros efetivos em dia com sua contribuição social estatutária, o presente Edital e convida acadêmicos a apresentarem seus trabalhos para publicação de coletânea, observadas as especificações constantes deste edital.

  1. Informações gerais

O presente Edital tem o objetivo de selecionar e publicar trabalhos dos membros da Academia de Cordel do Vale do Paraíba, que integração a coletânea “Cordel em carne e osso” (título provisório)

  • Cronograma

Lançamento de Edital: 15/03/2017 – Período de inscrição: 15/03 a 30/03/2017 – Revisão e editoração: 01/05/2017 a 20/05/2017 – Publicação: 20/06/2017.

  • Recursos financeiros

Os recursos financeiros para a publicação prevista no presente Edital serão captados junto a parceiros institucionais e da iniciativa privada, com contribuição da própria Academia, conforme sua disponibilidade de caixa.

  1. Da participação e inscrição

      2.1 – Dos participantes

O Edital é aberto exclusivamente para os membros efetivos da Academia de Cordel do Vale do Paraíba, devidamente quites com sua anuidade. Extraordinariamente, poderá se aceita a participação de poetas não sócios, conforme determinação dos editores, com tema a ser escolhido.

2.2  – Do trabalho

Cada participante poderá submeter apenas uma proposta a este Edital, com 12 sextilhas falando sobre seu Patrono e breve biografia do acadêmico, autor do trabalho.

2.2.1 – Da arte

A arte final e as xilogravuras dos patronos serão assinadas pelo gravurista Josafá de Orós, incluindo capa.

  1. Proposta

As sextilhas para publicação deverão ser inéditas e não possuir conteúdos que:

  1. Contenham informações que constituem crime;
  2. Constituam ofensa à liberdade de crença e às religiões;
  3. Contenha informações racistas ou discriminatórias;
  4. Tenham sido produzidas por terceiros
  1. Do processo editorial

O projeto gráfico, a revisão e a editoração são de competência exclusiva da Academia de Cordel do Vale do Paraíba.

4.1

Ficam os autores submetidos às modificações indicadas pelos revisores, sem que o teor do trabalho seja modificado.

  1. Da publicação

5.1 – Cada autor receberá 10 exemplares da coletânea, gratuitamente, e mais 05 exemplares para venda por preço simbólico de R$ 20 reais, cuja renda será revertida para o fundo especial de edição e distribuição da obra.

5.2 – O autor assinará um contrato de edição com a ACVPB.

5.3 – A tiragem da obra a ser publicada será de 2.000 (dois mil) exemplares.

  1. Outros

6.1 – A edição só será aprovada se alcançar pelo menos 50% dos membros efetivos da Academia de Cordel do Vale do Paraíba, ficando a ACVPB autorizada a convidar cordelistas que não façam parte do quadro de associados para complementar a obra, se for o caso.

6.2 – Os casos omissos serão resolvidos pela diretoria executiva da ACVPB

Itabaiana, 14 de março de 2017

 

Sander Lee – Presidente