antonioo

No papel onde outrora os traços a lápis arrebatavam olhares, as letras traçam a novas linhas na métrica e no ritmo da poesia. Antonio da Costa Silva, ou Antonio Costta é um “ajuntador de palavras”, como ele mesmo se define. “Um amante da poesia que adora escrever como um menino traquino”, diz.

A cidade onde nasceu, Pilar, na região da Mata paraibana seria um prenúncio de uma trajetória sólida, sustentada nas letras e na fé. O respeitado poeta é autor de quatorze livros, de dois CDs gravados de poesias recitadas, membro da Academia de Cordel do Vale do Paraíba e ainda artista plástico.

Com uma trajetória destacada por escritores e jornalistas nacionais e internacionais, Antonio Costta decidiu que a filosofia de um ajuntador deveria ser compartilhada. Por isso, o autor lança agora um livro novo, “Pensamentos de um Poeta”.

O escritor conversou com o Conexão Boas Notícias sobre sua trajetória, poesia, religião, e intercâmbio litero/cultural, que proporcionou levar a sua arte para outras terras.

“Pensamentos de um Poeta”. Do que trata a obra?

“Pensamentos de um Poeta” é uma coletânea de pensamentos que fui escrevendo ao longo de minha vida e que agora, aos 45 anos, resolvi publicá-los numa edição bilíngüe (em português e espanhol).

É sobretudo, uma visão do mundo através da ótica de um poeta que escreve seus pensamentos desde sobre a importância da leitura até o fazer poético, escrevendo ainda sobre a importância de vários temas, como amor, amizade, fé, humildade, solidão, inveja, política, etc… Todos pertinentes à condição humana na terra.

“Da vida, a melhor parte,

é amar com amor e arte!”

(Trecho do livro Pensamentos de um Poeta)

Dos desenhos para a poesia. Como descobriu a arte das palavras em versos?

Na adolescência, estudando em Pilar, precisamente no Colégio Estadual José Lins do Rêgo, eu era conhecido como o desenhista da escola. Mas em 1985, quando uma forte enchente do Rio Paraíba arrancou a ponte que ligava a zona rural à sede do município, ficamos impossibilitados, eu e meus irmãos, de estudarmos em nossa terra natal por causa da dificuldade de atravessarmos o rio na época da cheia.

Então, minha mãe resolveu nos transferir para que prosseguíssemos nossos estudos a cidade vizinha de Itabaiana, aonde viria a apaixonar-me pela poesia, ouvindo meu professor Aristóteles recitar na sala de aula poemas de Castro Alves, Augusto dos Anjos, Zé da Luz e Ronaldo Cunha Lima.

“Que momento d’esplendor
Naquela sala de aula,
A turma batendo palma,
Vibrando com o professor!
Com os versos do Condor,
Castro Alves, sem capuz,
Escravos sofrendo nus,
Nos versos sem fantasia.
Descobri a poesia
Na terra de Zé da Luz!”

(Trecho de Descobri a poesia na terra de Zé da Luz)

A letra do hino da cidade de Pilar é de sua autoria. Como foi compor um símbolo tão representativo da sua cidade natal?

Honra-me muito ser o autor da letra do hino oficial de meu município. Eu estava começando a escrever meus primeiros poemas quando soube, através do então Secretário de Educação do município, Pastor Linaldo Guerra, da necessidade de se criar o Hino de Pilar. Então, mostrei a ele duas estrofes de um poema que eu tinha escrito sobre Pilar e quando ele leu ficou impressionado e disse: “está aqui o embrião de nosso hino!”.

Uma semana depois lhe apresentei a letra completa, que foi aceita e musicada pelo músico José Cosmo de Souza, que por sua vez começou a apresentá-lo nas solenidades do município. Três anos após, em 2002, a Câmara Municipal de Pilar o aprovou, por unanimidade, como o Hino Oficial do município.

“Aqui num olhar profundo
Te namorou “Pedro II”;
És conhecida até os confins
Nos romances de Zé Lins!

Pilar, terra amada;
Pilar, terra querida;
Pilar Deus te plantou
No Vale do Paraíba!…”

(Trecho da letra do Hino Oficial de Pilar)

Transita entre a linha espiritual-religiosa e o viés laico. De que forma esse lado cristão é expressado nas suas poesias?

Escrevo como quem dá conselhos e como quem ora a Deus, de joelhos. Minha poesia sacra está reunida em um livro intitulado Poesia Cristã. Procuro louvar a Deus e enaltecer seu nome em tudo que faço, mesmo quando não estou escrevendo poesia com essência evangelística, procuro escrever de uma forma ética para que o nome do Senhor seja glorificado através de minha escrita.

“Sairei pelo mundo em defesa do amor

A pregar Jesus Cristo como Salvador;

A mostrar que o perdão é que cura o rancor…

Sairei pelo mundo em defesa do amor.”

 (Trecho de Em defesa do amor)

Livros publicados. Foto: Reprodução

Mantém contato próximo com poetas e a cultura da América Latina e da Europa. Qual a importância desse intercâmbio para o seu trabalho?

Tenho interagido, através da internet, com vários escritores do Brasil e do exterior. Inclusive, publiquei uma coletânea poética intitulada “O Poder do Amor”, que escrevi em parceria com as escritoras Maria Petronilho (de Portugal), Teresa Ovejero de Vinciguerra (da Argentina) Alma Velásquez de La Mora (do México) e Cristino Vidal Benavente (da Espanha) publicada no idioma original de cada autor, em 2014.

Este intercâmbio litero/cultural tem proporcionado para mim não só a oportunidade de divulgar minha produção poética, entre leitores de outras nacionalidades, mas a de amadurecer como escritor e de fazer verdadeiras amizades que têm perdurado por mais de seis anos.

Lançamento

O livro “Pensamentos de um Poeta” já está disponível para compra virtual. O lançamento da obra está marcado para o dia 4 de junho, às 14h, na Câmara Municipal de Pilar, no encerramento da Semana Cultural José Lins do Rêgo que será realizada de 29 de maio a 4 de junho. O poeta é membro efetivo da Academia de Cordel do Vale do Paraíba, com sede em Itabaiana.

Para adquirir o novo livro e demais obras:

https://www.clubedeautores.com.br/authors/143871

Conheça mais o trabalho do Autor:

http://www.recantodasletras.com.br

http://antoniocostta.blogspot.com.br/

Anúncios