ajo

Josafá de Orós com livro de Fábio Mozart

O poeta Josafá Paulino de Lima, o Josafá de Orós, obteve classificação em segundo lugar no Sarau Brasil 2016, concurso nacional de novos poetas que recebeu 2.603 inscrições. A classificação dos poemas resultará no livro de antologia poética Prêmio Sarau Brasil 2016.

“O Concurso Literário é uma importante iniciativa de produção e distribuição cultural, alcançando o grande público, escolas e faculdades”, afirma a comissão do Sarau Brasil. Josafá de Orós inscreveu seu poema “A outra carta a Ilse Blumen tal-Weis”.

Josafá é cordelista e artista plástico, especialista em xilogravura, arte e técnica de fazer gravuras em relevo sobre madeira, muito usada nos folhetos de cordel.

Na Academia de Cordel do Vale do Paraíba, onde é membro efetivo, Josafá de Orós ocupa a Cadeira nº 3 cujo patrono é o poeta Manoel Monteiro.

“Josafá de Orós é um gravurista que gosta de unir o erudito com o popular. Na gravura de Josafá, estampa-se uma linguagem viva e provocativa, com marcas de sua vivência de analista do comportamento social, sendo ele um sociólogo”, afirmou Fábio Mozart, também acadêmico da entidade do cordel.

Anúncios