atelier

Sander Lee, Jurandir Maciel e Thiago Alves no atelier

O diretor de finanças da Academia de Cordel do Vale do Paraíba, Thiago Alves, e o Presidente Sander Lee, anunciaram a formatação de duas importantes parcerias em João Pessoa, com a Companhia Brasileira de Trens Urbanos e o Atelier de Jurandir Maciel, localizado no centro histórico da capital paraibana. Com a primeira, a Academia deverá implementar o projeto Biblioteca Viva, para os usuários dos trens de passageiros que fazem o percurso Cabedelo a Santa Rita, disponibilizando livros usados para troca, além de um programa de passeio literário, o “Trem poético”, com viagem no trem VLT (Veículo Leve Sobre Trilhos) no roteiro, culminando com parada na  praia do Jacaré, em Cabedelo, onde se realizará sarau poético com cânticos e declamações, além de exposição de folhetos e gravuras dos artistas acadêmicos, inclusive nas estações de paradas.

No atelier de Jurandir Maciel, a proposta é realizar também saraus poéticos e exposições de mestres gravuristas ligados à Academia, a exemplo de Josafá de Orós, de Campina Grande. “O escultor Jurandir Maciel é um artista comprometido com a difusão do belo no seu atelier em frente ao Hotel Globo, que é visitado por turistas de toas as partes do Brasil. É lá que iremos realizar saraus poéticos e exposição de cordéis, numa parceria fechada nesta quarta-feira, 26 de outubro, que foi muito proveitosa para a Academia, pois firmamos também consórcio com a CBTU que será muito interessante para a difusão do livro e da literatura de cordel”, disse Sander Lee.

O artista plástico escultor J. Maciel é pernambucano do Recife. Iniciou sua trajetória profissional na década de 1980, quando conceituou todo o seu trabalho na preservação ao meio-ambiente através do desenvolvimento sustentável.

O escultor é o autor do painel artístico, em alumínio reciclado, intitulado “Nossa Cultura”, situado no prédio anexo da Assembleia Legislativa do Estado de Alagoas. A obra interage com o edifício central da Assembleia Legislativa e com todo o conjunto arquitetônico secular local. No painel de 49 desenhos foram utilizadas cerca de 30 toneladas de alumínio reciclado artesanalmente e transformado em arte figurativa inspirada no Cordel. Em 2010, o escultor realizou a estátua de Nossa Senhora da Penha com seis metros de altura, instalada na lateral do Santuário da Penha, em João Pessoa/PB (monumento em alumínio reciclado fundido). Ainda em João Pessoa, o artista esculpiu, em 2009, o poeta Livardo Alves num banco de praça (tudo em bronze); em 2010, esculpiu em bronze, o poeta popular Caixa D’água, escultura instalada no Centro da cidade; em 2011, esculpiu em bronze, “O Rei do Ritmo” Jackson do Pandeiro, escultura instalada n’O Ponto de Cem Réis, no coração da capital paraibana; no ano de 2014, esculpiu, também em bronze, Augusto dos Anjos – o poeta do “Eu”, no tamanho natural, instalada na Academia Paraibana de Letras; e, mais recentemente, esculpiu também em bronze o escritor, poeta e dramaturgo Ariano Suassuna e um portal em alumínio fundido para compor o hall de entrada do teatro Pedra do Reino no Centro de convenções de João Pessoa.

Anúncios